Compostagem

CompostagemNa compostagem podem ser utilizadas minhocas, no processo conhecido por vermicompostagem, e algumas espécies agilizam o processo e gerando humus.

No sítio utilizamos em nossas pilhas de compostagem que serão destinadas às hortas camadas de aparas de grama verdes e secas, podas e palhadas resultantes dos plantios, resíduos da cozinha que não damos para as galinhas, uma pitadinha de cinzas e de pó de rocha, e os excrementos das galinhas que limpamos do galinheiro de tempos em tempos que já está misturado à serragem.

Esta pilha é regada com frequência e recebe uma plaquinha identificando a data de seu início. Após cerca de 3 meses já se transformou em composto, mas pode ficar até 6 meses. Não é preciso revirar, mas se quiser acelerar o processo convém. Também pode ser peneirado para remover galhos e outros resíduos que foram adicionados grandes demais à pilha.

Coco’mpostagem

img_2286Parte do resíduo humano dos moradores e visitantes é tratado através de decomposição aeróbica. Tal matéria prima é oriunda do banheiro seco compostável.

Todos os animais reciclam os nutrientes de uma maneira ou de outra. O ser humano não é diferente, pois também é parte da natureza. Ao defecarmos geramos um rico esterco e reciclamos parte dos nutrientes que não nos foram úteis, mas que serão de grande utilidade para o trabalho dos organismos heterótrofos aeróbios.

Para deixar oxigênio disponível para estes agentes decompositores utilizamos camadas de serragem no sistema de baldinhos entre cada uso. Os baldes de 18L armazenam o composto até que estejam cheios. Cada usuário cobre seu resíduo com uma porção generosa de serragem de madeira não tratada, impedindo que insetos pousem e que o mau cheiro suba até suas narinas. Após cheio, o balde será esvaziado em uma pilha de composto de esterco humano isolada, que passará pelo transformador processo de decomposição ao longo de um ou dois anos, e só então será destinada ao plantio e adubação de árvores.

Há um material de grande importância para informar de maneira mais aprofundada este tema, é o Livro do Esterco Humano, gratuito em pdf. 

 

Deixe uma resposta